Pilotos de 11 países disputam o mundial de paramotor em Saquarema, RJ
05/04/2022 09:32 em Esportes

Depois de três anos sem ser disputado, está confirmado o 11º Campeonato Mundial de Paramotor Clássico FAI, entre os dias 20 e 30 de abril. E se o retorno das competições já é um motivo especial para comemorar, a etapa tem motivos a mais: é a primeira vez que o Mundial ocorre em um país do continente americano. Além disso, a competição será realizada em uma das cidades mais favoráveis para a prática do esporte: Saquarema, no litoral do Rio de Janeiro. 

Para conquistar o título, os pilotos disputarão provas de economia, navegação e precisão, em três classes: Paramotor Solo (PF1), Paratrike Solo (PL1) e Paratrike duplo (PL2). Representantes de 11 países já confirmaram participação, com destaque para França, Brasil, Qatar e Tailândia, que terão as maiores delegações. 

Atual campeão mundial da modalidade Paramotor Solo, o francês Alexandre Mateos está entre os nomes confirmados e diz que a expectativa é de disputa acirrada. "Não temos um novo campeonato mundial desde 2018, então o nível será muito alto. E vou fazer o melhor para defender o título”, diz Mateos.

A mesma sensação é compartilhada pelo atual campeão brasileiro da mesma categoria e líder da delegação verde-amarela, o piloto paranaense Alan Braga. “A equipe brasileira é nova em competições, mas vamos chegar no campeonato com muita maturidade e experiência. Sem falar na felicidade de retornar aos mundiais, ainda mais sendo realizado no nosso país”, destaca. 

Para a Confederação Brasileira de Paramotor (CBPM), a infraestrutura de Saquarema foi fundamental para a decisão de realizar a competição no município. “Vamos reunir as principais delegações do mundo e queríamos uma cidade que por si só já tivesse uma atmosfera propícia para o esporte. Não tenho dúvidas que representaremos muito bem o continente americano nesta estreia e que todos os atletas e suas delegações irão se surpreender com o mundial”, destaca Lula Laghi, presidente da CBPM e integrante da organização do evento. 

A competição - O paramotor é uma modalidade esportiva composta de um parapente com motor e hélice, que dá propulsão, propiciando a decolagem de qualquer local, diferente do voo livre que, normalmente, depende de um morro para decolar. É essencial que o piloto conheça bem o terreno e o ambiente no qual está voando. Para isso, os três primeiros dias do WPC 2022 são destinados aos treinamentos, para que os pilotos reconheçam a área e ajustem seus equipamentos. Nos sete dias seguintes, os competidores realizam uma série de provas do amanhecer ao pôr do sol.

Movimentação econômica - Engana-se quem pensa que o paramotor é um esporte individual. Além do piloto, a equipe de cada participante é composta por técnicos, mecânicos e ajudantes. São mais de 500 pessoas envolvidas direta e indiretamente na organização, além do público que acompanha as competições, o que promete movimentar a economia da região ao longo do evento. A prefeita Manoela Peres afirma que Saquarema está se projetando como um importante polo turístico e esportivo, atraindo competições de diversas modalidades. “Este tipo de turismo é diferenciado, é qualificado e traz muito retorno à cidade e ao trade turístico. 

As expectativas são as melhores, tendo por base as etapas do Mundial de Surf e do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia, afinal, há um fomento na economia da cidade, no turismo, na geração de empregos e na visibilidade que a cidade ganha com a transmissão dos campeonatos em diversos canais de TV e internet em todo o mundo”, destaca. 

O 11th FAI WPC2022 é uma realização da Confederação Brasileira de Paramotor (CBPM), com patrocínio da Prefeitura Municipal de Saquarema, Sol Paragliders, Vittorazi e Ok Virtual.

Acompanhe todas as novidades do 11º Campeonato Mundial de Paramotor FAI - WPC 2022 no Instagram: @wpcbrasil2022

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
SETA ISENÇÕES